Religião é como a nossa mãe.


Religião é como a nossa mãe, mesmo que não seja bonita, nós achamos que é, gostamos dela e não a trocamos por nenhuma outra mãe de quem quer que seja.

Podemos não achar nossa mãe mais bonita do que a mãe dos outros, mas certamente achamos melhor para nós. Isso não quer dizer que a mãe dos outros não seja bonita, isso também não quer dizer que o outro não tenha o direito de elogiar a sua mãe.

Bem educados, nós falamos bem de nossa mãe, elogiamos nossa mãe, gostamos dela mais do que de qualquer outra mãe, mas respeitamos, elogiamos e admiramos também os outros e as mães deles.

Só os moleques falam mal da mãe do outro e ridicularizam o outro e a mãe do outro. Pessoas bem educadas arranjam um elogio bonito ara sua mãe e um elogio bonito para a mãe do outro.

Religião é como a mãe. Se a gente tem uma, a gente não a troca por nenhuma outra. E se o outro tem uma e gosta dela, a gente aplaude. Pessoas bem educadas sabem conviver com a sua própria mãe e com a mãe dos outros.

Pessoas bem educadas sabem conviver com a sua própria Igreja e com a Igreja dos outros. Só os fanáticos e mal educados gostam de falar mal da Igreja do outro e de colocar a sua acima de qualquer outra Igreja. Só os mal educados e mal instruídos na fé, não aceitam dialogar nem orar juntos. Só eles são contra o ecumenismo, mas quem tem mãe sabe a importância de ser filho.

Amemos nossas Igrejas, mas respeitemos as Igrejas dos outros, se quisermos, de fato, ir para o céu. Religioso mau caráter acaba criando guerras e destruindo a paz, em nome da sua mãe que ele acha que é a única.
Religião verdadeiramente vitoriosa, não é a que faz mais adeptos, mas a que sabe fazer mais caridade e respeitar a mãe dos outros.



Fonte: Jornal "MISSÃO JOVEM"

Bruna Oliveira

0 comentários: